quarta-feira, 23 de abril de 2014

7 dicas para não ser vítima de golpes e batedores de carteira em Paris

Maioria dos infratores são menores de idade e boa parte deles são de origem de países da Europa do Leste

Imagem de hoje do jornal britânico The Daily Mail mostra jovens roms (ciganos) roubando um senhor num caixa eletrônico em Notre Dame, Paris. Imagem está causando polêmica na França 
Você esta andando tranquilamente em Paris quando, de repente, um grupo de meninas chega pedindo para você assinar um papel. Desavisado, você assina e segue seu passeio. Lá na frente, percebe que teve carteira, celular e documentos roubados.

Este tem sido o carma de turistas que visitaram a cidade luz nos últimos anos, inclusive brasileiros. Na última vez que estive no consulado do Brasil aqui em Paris, num intervalo de 1 hora, observei que 10 brasileiros chegaram reclamando que tiveram seus  passaporte e dinheiro furtados enquanto visitavam a cidade. A maioria nem percebeu.

Além dos furtos que se multiplicam, golpes e mais golpes vem crescendo, sem que a polícia consiga dar um basta. Hoje, o Jornal Britânico "The Daily Mail" publicou um flagra de menores roms (ciganos da România - Europa do Leste) roubando um turista num caixa eletrônico perto da Catedral de Notre Dame. O flagra está causando polêmica, ameaçando o turismo e colocando em cheque a segurança pública do governo de esquerda da França.

Mas calma, não precisa se apavorar. Felizmente a violência na França é muito, mais muito inferior a do Brasil. Mesmo assim, se você mora ou está visitando a cidade, siga as dicas do Viver Paris para não ser vitima dos malfeitores.

  1. Não dê bola se alguém te pedir para assinar algo - o golpe mais batido, mas que continua fazendo centenas de vítimas é o golpe do abaixo assinado. Meninas, geralmente de origem cigana (dos países do leste, principalmente a România) abordam o turista e pedem para que ele assine um papel. Muitas vezes elas não falam nada, apenas pedem através de gestos para você assinar. Outras, falam poucas palavras em francês ou inglês, dando a entender que aquele papel é para ajudar uma ONG. Mentira. Enquanto o turista assina, outras meninas do bando roubam, discretamente ou não, bolsas e bolsos. Quando elas não conseguem roubar, fazem um escândalo e pedem para que você as dê dinheiro. Como evitar? Quando elas chegarem perto se afaste rapidamente, seja grosso e diga um NÃO bem forte. Assim elas vão embora e você não tem problemas.
  2. Fuja do golpe do anel - outro golpe comum é do anel. O malfeitor chega perto de você e deixa, propositalmente, um anel cair no chão. Não pegue o anel e caso ele mesmo pegar e te oferecer, recuse. O golpista pode inventar que o anel é de ouro, que pertencia a sua família e que deseja te oferecer porque a religião não permite que ele use. Caso você aceite, o golpista vai começar a gritar e exigir que você pague uma determinada quantia. Meio bobo este golpe comparado aos que temos no Brasil, mas para não se estressar, não dê bola e não aceite nada de estranhos. Não dê atenção e siga em frente. Ah! E se alguém quiser colar uma fitinha no seu braço, recuse. Eles fingem que vão te dar de presente e depois te cobram um valor bem caro por algo que não vale nada. Eles gritam, fazem um escândalo até você pagar.
  3. Caixas eletrônicos - em Paris, a maior parte dos caixas eletrônicos são nas ruas, colados nas paredes de prédios, sem nenhuma cabine ou proteção. É ai onde mora o perigo. Grupos de roms (ciganos) menores de idade se aproximam, te encurralam e roubam o dinheiro na hora em que ele sai da máquina. Tudo é muito rápido e estas ações tem se multiplicado nos últimos meses. Mulheres e idosos são as vítimas preferidas. Para não ser roubado desta forma, evite tirar dinheiro em caixas eletrônicos nas ruas (use caixas no interior das agências), principalmente em locais turísticos, como Ópera, Marais, Champs Élyssés, Notre Dame e Torre Eiffel. 
  4. Fique de olho no metrô - Muitos furtos acontecem dentro do transporte público, principalmente no metrô. Estes golpes, na maioria das vezes, são praticados por menores ciganos. Portanto, fique ligado e evite mochilas nas costas. As mulheres devem colocar as bolsas na frente do corpo. Nunca coloque a carteira no bolso de trás da calça: prefira guardá-la na parte da frente do casaco, em bolsos com ziper. A mesma dica serve para celular e documentos. 
  5. Não compre tickets do metrô de estranhos - outro golpe comum acontece nas estações de trem como Gare du Nord e Gare du Lest. O turista chega e faz a fila para comprar o ticket do metrô. O golpista se aproxima e oferece um bilhete mais barato (geralmente 1,20€, quando o normal é 1,70€), diz que comprou a mais, inventa uma desculpa. Para não ficar na fila, muita gente compra e consegue usar o bilhete, passar na catraca. O problema é que este ticket é de estudante e custa a metade. Caso você for pego no controle (existem controladores nas estações que pedem os bilhetes para verificar quem pagou a passagem), pagará uma multa de 45€ por fraude. 
  6. Atenção nas lojas - nem mesmo as lojas estão salvas dos batedores de carteira. Apesar de investirem cada vez mais em segurança, comerciantes tem registrado um aumento no número de furtos a clientes dentro de seus estabelecimentos. Como a pessoa está distraída nas compras, os batedores de carteiras aproveitam. Locais turísticos como a Champs Élyssés e Galeries Lafayette são os locais mais visados pelos bandidos. 
  7. Deixe passaporte no hotel ou em casa - evite andar com seu passaporte. Deixe-o no hotel ou em casa. Ande apenas com uma cópia para que possa ser identificado em caso de controle da polícia. Passaporte brasileiro é visado pelos golpistas, pois podemos entrar em mais de 80 países sem visto. 
Espero que com estas dicas você possa Viver Paris plenamente e sem se estressar. Vale lembrar que, apesar dos golpes, Paris ainda é uma cidade segura, mas como toda cidade grande, é bom termos sempre atenção, "um olho no padre e outro na missa", como dizia minha vó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário