segunda-feira, 16 de agosto de 2021

Como validar seu diploma na França?


Se você tem um projeto de estudar ou trabalhar na França deve estar se perguntando: como validar meu diploma? Muita gente não sabe, mas o processo é simples e deve ser feito unicamente pela internet, através do site Education Nationale (Ministério da Educação da França). A vantagem de se fazer o pedido à distância é que você pode fazê-lo de qualquer lugar do mundo, sem precisar estar na França. 

Vale lembrar que a validação do diploma é um processo de reconhecimento dos seus estudos, uma equivalência do seu diploma comparado ao francês. 

Diplomas na área de saúde, como enfermeiros e algumas especialidades medicais, por exemplo, não podem ser validados através deste processo, pois são profissões regulamentadas e exigem que o candidato passe por testes antes de ter autorização de exercer sua profissão na França. A lista das profissões regulamentadas você encontra neste sitePara todas as outras profissões você pode pedir a equivalência do seu diploma pela internet. 

Quais documentos preciso para validar e pedir a equivalência do meu diploma na França?

  • Passaporte ou Titre de séjour válidos; 
  • Diploma ou certificado com data de início e de conclusão de curso. Para ter seu pedido aceito sem problemas, você deve solicitar à sua Universidade ou Instituição de ensino o seu histórico escolar com notas, disciplinas estudadas e atividades extracurriculares. Deve solicitar também um certificado de presença. O histórico escolar e certificado de presença são opcionais, mas indico que você os envie para não ter seu pedido negado. 
  • Justificativa de início e conclusão do curso.

É preciso traduzir os documentos para validar meu diploma na França?

Se a língua pela qual você se formou for inglês, alemão, espanhol, italiano, português ou árabe, você não precisa traduzir nenhum documento. Ou seja, se formou no Brasil, não precisa traduzir nada! 

Onde fazer o pedido?

Uma vez todos os documentos reunidos você deve acessar o site https://phoenix.france-education-international.fr/inscriptions e começar a preencher o formulário de inscrição. 

Ao terminar seu registro, você receberá um email com o seu número de inscrição. Você deverá guardar este número, pois será preciso dele para acompanhar o seu pedido e receber o documento de validação do seu diploma. 

Uma vez todos os dados preenchidos e documentos enviados pelo site, você receberá outro email com a fatura que deve ser paga. O custo para reconhecer o diploma na França é de 70 euros. Este valor pode ser pago com cartão, cheque ou transferência bancária. Eu recomendo fortemente que você use o cartão, pois o processo é mais simples e você não precisa enviar mais nada, tudo é automático. 

Preciso fazer algum teste?

Não. A equivalência de diploma na França é feita através da apresentação de documentos e do seu histórico escolar.  Também não é necessário falar francês para ter o diploma validado. Mas normalmente se você valida seu diploma na França é porque deseja estudar ou trabalhar aqui, ou seja, a maioria já tem uma noção da língua. 

Qual o prazo para ter meu diploma reconhecido na França?

O prazo máximo para você obter uma resposta é de 4 meses. Você pode acompanhar tudo pelo link que você receberá por email. Uma vez o processo concluído você receberá a resposta com um link para baixar o documento em pdf com a equivalência e validação do seu diploma na França. Você deve baixar este documento num prazo específico. 

E pronto! Agora você ja tem a sua equivalência de estudos na França, que pode ser útil caso você queira prosseguir seus estudos ou trabalhar na sua área.

Para maiores informações não deixe de visitar o site France Education, com as informações detalhadas de todo o processo.

Ainda não segue a gente lá no Instagram? Então clica aqui para ficar por dentro de tudo que rola em Paris e na França. 


quarta-feira, 11 de agosto de 2021

ATUALIZADO: Saiba como ter o passaporte sanitário na França


Finalmente a França anunciou como o turista de fora da União Europeia poderá ter acesso ao passaporte sanitário (ou passe sanitário) durante visita ao país. 

As fronteiras entre Brasil e França foram reabertas no último dia 17 de julho para cidadãos imunizados com vacinas Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca. Mas com a implantação do passaporte sanitário, muitos turistas se perguntavam: "como fazer turismo na França sem poder entrar em locais públicos?". 

E foi para responder a esta questão que o secretário de Estado encarregado do turismo, Jean-Baptiste Lemoyne, anunciou ontem (10/08) o procedimento para cidadãos de fora da UE obterem o famoso QR code que dá acesso aos lugares públicos como museus, teatro, restaurantes, transporte públicos de longa distância, etc. 

Como obter o passe sanitário na França?

  • O turista estrangeiro de fora da UE deverá fazer o pedido enviando um e-mail para area3.covid-pass@diplomatie.gouv.fr 
  • O assunto do e-mail deve conter: PAÍS DE RESIDÊNCIA/SOBRENOME E NOME/DATA DE CHEGADA A FRANÇA (exemplo: Brasil/Ane/10/09/21);
  • O Pedido deve ser feito apenas pelos maiores de 18 anos (adolescentes de 12 a 17 anos não precisam do passe sanitário até o dia 30 de setembro/menores de 12 anos por enquanto estão isentos do documento);

DOCUMENTOS A ENVIAR POR EMAIL:

  • Certificado de vacinação do SUS com vacinas aprovadas pela UE: Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca. Por enquanto a vacina Sinovac, a mais aplicada no Brasil, não vale. Os governos da Europa estão estudando a possibilidade de incluí-la em breve, mas ainda não há previsão de quando;
  • Para obter o passe sanitário francês é preciso estar completamente imunizado: Com vacinas de 2 doses é preciso aguardar 7 dias. Para vacina de 1 dose, o caso da Janssen, é preciso aguardar 30 dias antes de obter o passaporte sanitário francês; 
  • Cópia do passaporte válido;
  • Cópia das passagens de avião de ida e volta;
  • E o formulário com o pedido devidamente preenchido (versão em inglês ou versão em francês);
  • Se viaja em família, cada membro deve enviar o pedido separadamente;
  • Tudo deve ser anexado em enviado por e-mail. Os anexos não devem exceder 10MB;

Uma vez o e-mail enviado, seu pedido será analisado e, caso a resposta for positiva, você receberá por e-mail o QR code, que poderá ser utilizado para entrar em locais públicos durante sua viagem à França. 

Você poderá apresentar o QR code impresso ou através do aplicativo TousAntiCovid.

O Ministério do turismo francês não divulgou o prazo para análise e envio do passe sanitário, mas recomendou que os pedidos sejam feitos com antecedência. 

Leia também: Quais documentos preciso para visitar a França como turista?

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

Passaporte sanitário na França: a dor de cabeça dos turistas estrangeiros

Apesar de serem autorizados a entrar na França, brasileiros e turistas de fora da UE ainda não tem acesso ao QR code do famoso passaporte vacinal francês. 


Entrou em vigor hoje (09/08), o tão falado passe sanitário na França (ou passaporte vacinal como muitos preferem). A partir de agora, apenas pessoas completamente imunizadas contra o covid-19 ou os que apresentem testes negativos de menos de 48h poderão entrar em locais públicos como museus, teatros, bares, restaurantes, grandes lojas e transportes públicos, como trens de longas distância e aviões. 

Se as novas regras já são dor de cabeça para os franceses (apenas 56% da população está completamente vacinada) para os estrangeiros de fora da União Europeia o estresse é ainda maior, pois mesmo vacinados completamente contra o covid, cidadãos de fora da UE não terão (pelo menos por enquanto) acesso ao famoso QR code para comprovar que estão imunizados. E não adianta mostrar o comprovante do SUS provando que você está imunizado, pois ele não vale aqui.

Mas então como visitar a França nestas condições? Nosso blog já havia abordado o problema neste artigo, mas de lá para cá parece que não houve qualquer negociação entre a França e o Brasil, mesmo a fronteira entre os dois países tendo sido reaberta no último dia 17 de julho. Teoricamente, brasileiros podem vim à França a turismo se estiverem completamente imunizados com vacinas Pfizer, AstraZeneca, Janssen e Moderna, mas a contradição nesta história é "como fazer turismo na França sem o famoso QR Code, sem o passe sanitário? Como circular livremente, aproveitar as férias, ir ao restaurante, bares, museus, etc?"

No site do consulado do Brasil em Paris, a orientação (absurda por sinal) é de que turistas brasileiros se submetam a testes PCR a cada 2 dias enquanto visitam a França (vale lembrar que cada teste custa em média 50 euros e não são grátis para os turistas). O consulado do Brasil diz ainda que o governo francês está estudando a possibilidade de criar um passe sanitário para turistas de fora da Europa e que a regulação do passe sanitário na França é um assunto de estrita competência das autoridades locais. Ou seja, o governo brasileiro não pode fazer nada, em português simples e claro... 

Como eu já havia dito na semana passada, para evitar dores de cabeça, a melhor estratégia é evitar visitar a França se você estiver vindo de um pais de fora da União Europeia. Pelo menos até as autoridades aqui decidirem como turistas de fora da UE poderão obter um certificado de vacinação, seja ele internacional ou de negociações bilaterais. 

Por enquanto, esta reabertura de fronteiras entre o Brasil e a França está sendo benéfica apenas aos residentes brasileiros e franceses já vacinados, que podem finalmente viajar livremente entre estes dois país, rever famílias e esquecer um pouco o isolamento imposto por essa pandemia que já dura quase 1 ano e meio... 


quinta-feira, 29 de julho de 2021

Atualizado: As restrições na França com a Covid-19


ATUALIZAÇÃO 11/08/21: Como obter o QR Code com o passaporte sanitário francês?

Se você não mora na França e está organizando a sua viagem ou passagem pelo país nos próximos dias já deve ter se perguntado quais são as regras impostas pela epidemia de covid-19. Usar máscara onde? Posso entrar em locais fechados sem a vacina? O confinamento e toque de recolher ainda estão vigorando? Nosso blog resolveu tirar todas as suas duvidas neste post e abordar como funciona o Passe Sanitário na França, que entra 100% em vigor no 9 de agosto. 

O que é o passe sanitário?

Resumindo, o passe sanitário na França é um QR code que pode ser impresso ou armazenado no smartphone e que atesta que você está imune ou não contaminado pela covid-19. Para se ter o passe sanitário é preciso estar completamente vacinado, apresentar um teste RT-PCR de menos de 48 horas ou estar comprovadamente imune a covid-19 após ter sido contaminado e se curado. O passe sanitário francês é válido em toda a Europa e vice-versa. 

Com que idade o passe sanitário é obrigatório?

A partir de 18 anos o passe sanitário é obrigatório para todos, sem exceção. Crianças abaixo ce 12 anos não precisam (por enquanto) do passe sanitário. Já adolescentes de 12 a 17 anos, o passe sanitário só será obrigatório a partir do 30 de agosto.

E se eu não tiver o passe sanitário, poderei viajar normalmente pela França?

Poderá viajar para França, mas não viverá normalmente por causa das restrições. Para incentivar que a população francesa se vacine o mais rápido possível e evitar uma nova onda de covid-19 no país, o governo francês aprovou no último dia 26/07/21 novas regras que impõem o passe sanitário. Sem estar vacinado, por exemplo, você não poderá, a partir do dia 9 de agosto, entrar em museus, parques, cinemas, bares e restaurantes. Viagens de trem (de longa distância apenas) e de avião também só serão possíveis para os vacinados e aqueles que apresentem teste RT-PCR com menos de 48 horas. 

Como o turista brasileiro poderei obter o passe sanitário francês?

Os brasileiros estão autorizados a entrar na França sem restrições desde o dia 17 de julho. Teoricamente, basta que o brasileiro esteja completamente vacinado (vacinas Pfizer, AstraZeneca, Moderna e Janssen) para poderem entrar na França. O problema até agora é que não existe um certificado internacional de vacinação contra a covid-19 e os governos do Brasil e França ainda não esclareceram como um cidadão brasileiro poderá certificar a vacinação aplicada no Brasil. Sem este acordo, impossível de gerar um QR code por vacinação para se ter acesso aos locais públicos na França, o que dificulta e torna quase impossível o turismo no país. Mais precisões sobre este inconveniente devem ser expostas nos próximos dias. O que se sabe até agora é que alguns monumentos como a torre Eiffel aceitam a apresentação do cartão de vacinação de países de fora da UE como prova de vacinação, permitindo a entrada de turistas estrangeiros. 

E tudo está aberto na França?

Sim, o segundo confinamento na França acabou completamente no dia 30 de junho de 2021. A partir desta data todas as restrições foram retiradas e o comércio, locais culturais, restaurantes e bares finalmente reabriram. O uso da máscara continua obrigatório em locais fechados e no transporte público. Nas ruas, o uso da máscara não é obrigatório na maioria das cidades, como em Paris por exemplo, onde podemos circular sem máscara no exterior. 

Qual a multa para quem não respeita as regras?

O não uso de máscara em locais fechados ou transporte público pode ocasionar multa de 135 euros (podendo chegar a 1,5 mil em casos de reincidência), por isto é melhor não ariscar. Os estabelecimentos que não controlam o uso da máscara e o passe sanitário (QR Code) também podem ser multados e fechados administrativamente em caso de desrespeito das regras. 

Para visitar a Torre Eiffel é preciso usar máscara?

Sim. o uso de máscara é obrigatório para se visitar a Torre Eiffel, mesmo sendo uma área aberta. A apresentação do passe sanitário também é obrigatório para se visitar a dama de ferro. A boa notícia é que a Torre Eiffel aceita o cartão de vacinação do país do turista de fora da União Europeia como prova de vacinação, dispensando o uso do QR code francês ou Europeu. 

Para ir ao supermercado, farmácias e hospitais é preciso estar vacinado?

Não. O acesso a locais essenciais não necessita apresentação do passe sanitário e o acesso é livre. Apenas o uso da máscara é obrigatório. 

Preciso estar vacinado para pegar o metrô em Paris?

Não, o transporte público para se locomover dentro das grandes cidades é considerado essencial, não sendo obrigatório a apresentação do passe sanitário. Apenas o uso da máscara, como já foi dito, é obrigatório. Portanto, caso use trens de longa distância, como os TGVs, a apresentação do passe sanitário será obrigatório a partir do 1 de agosto. 

Sou estrangeiro e estou de passagem pela França, posso me vacinar contra o covid-19?

Não. Por enquanto a vacinação contra a covid-19 é administrada gratuitamente em estrangeiros que vivem regularmente na França. Imigrantes em situação irregular também podem se vacinar, mas precisam estar cadastrados da AME, que é a assistência médica gratuita para pessoas em situação precária, irregular ou em processo de solicitação de asilo político.

E se eu for detectado positivo a civid-19 quando estiver de férias na França?

Você deverá se isolar 14 dias. Antes de viajar para a França, verifique com sua agência de viagens se o seguro saúde que você contratou (obrigatório para viagens à Europa) cobre despesas médicas, de eventuais internações e repatriamento por covid-19. A gratuidade na saúde na França aplica-se apenas ao cidadãos franceses e residentes. 

Posso cruzar a fronteira e visitar outros países europeus?

Embora estejamos na Europa, as regras podem mudar de acordo com o país que você visita. Antes de ir, planeje sua viagem e se informe à respeito das restrições no país que deseja visitar. Teoricamente as fronteiras da França estão abertas. 

Existe o risco de um novo confinamento na França este ano?

Por enquanto não se fala de novo confinamento, mas os casos de covid-19 estão aumentando em virtude da propagação do variante Delta. O mês de Julho e Agosto são meses de férias escolares na França e a maioria da população escolhe este período para viajar. Se o governo optar por um confinamento nesta época ele será dificilmente respeitado pela população, por isto acredito que, caso haja um novo confinamento, é provável que o mesmo seja a partir no mês de outubro. Por enquanto as chances são poucas, vai depender do avanço da epidemia. 

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Covid-19: Visitar à França em 2021 é uma boa ideia?

A partir do 21 de julho é preciso apresentar QR Code para acessar locais fechados na França. Ainda não existe acordo entre Brasil e França para gerar CQ Code para vacinados brasileiros que visitam a França. 

No dia 17 de julho, a França finalmente reabriu as fronteiras aos brasileiros completamente vacinados contra a covid-19. Foram meses de fronteiras fechadas, milhares de voos anulados e o sentimento de que a relação entre os dois países se distanciava com o agravamento da crise sanitária. Entre o Brasil e à França, apenas deslocamentos considerados essenciais eram autorizados. Viajar a turismo era praticamente impossível.

Com a recente reabertura das fronteiras entre os dois países, a entrada de turistas brasileiros na França está autorizada desde que o viajante tenha se vacinado com as duas doses das vacinas Pfizer, Moderna, AstraZeneca ou Janssen. Teoricamente, cruzar o atlântico e aproveitar o verão francês é simples. Mas na prática, a implementação do novo passe sanitário na França deixa lacunas ainda sem respostas, como por exemplo: como o turista brasileiro pode adquirir o QR Code para acessar museus, trens, aeroportos, restaurantes e comércio?

Depois do dia 21 de julho, para entrar em um local público na França com mais de 50 pessoas é preciso apresentar um QR Code atestando que você está vacinado ou não contaminado pelo covid-19. Se você foi vacinado na Europa, existe o certificado digital vacinal com um QR code válido em todo o velho continente. Mas e se você não for residente ou europeu? E se sua vacina foi administrada no Brasil, como ter acesso aos locais públicos, culturais, etc, sem o famoso QR Code?

Por enquanto esta pergunta está sem resposta das autoridades europeias e brasileiras. O governo da França, por exemplo, aprovou no senado neste dia 26/07 a obrigatoriedade do passe sanitário para acesso a lugares públicos, mas até o momento não existe nenhuma informação de como o turista brasileiro devidamente vacinado pode obter o passe vacinal na França. Sem um passe sanitário internacional para os vacinados a solução seria o viajante brasileiro realizar um teste antigênico ou PCR a cada dois dias à fin de obter o passe sanitário (ou seja, atestar que não está contaminado pelo covid-19) e poder circular livremente na França.

Tal solução, além de custosa (cada teste custa entre 25 e 49 euros), é completamente tortuosa e impraticável para qualquer turista. Imagine ter que se submeter a um teste a cada 2 dias durante uma viajem? 

Enquanto estes pontos do passe sanitário não forem esclarecidos e não houver clareza de como o turista brasileiro poderá se locomover na França sem grandes problemas,  o melhor é evitar viagens turísticas ao país. Além disso, a situação sanitária está se agravando na França com o aumento das contaminações pelo variante Delta (média de 20 mil novas contaminações por dia) o que pode exigir novas restrições no país nos próximos dias.

Então, antes de reservar sua viagem turística à França, reflita  bem o prós e os contras, o risco de não pode visitar certos locais ou até mesmo ter seu bilhete anulado de última hora em virtude das mudanças das regras de acordo com a evolução da crise sanitária.

No momento, a abertura das fronteiras entre os dois países beneficia sobretudo os residentes brasileiros na Europa já vacinados, que podem finalmente viajar ao Brasil e voltar a sem quaisquer restrições, como quarentenas, por exemplo. Para os turistas brasileiros, infelizmente será necessário um pouco mais de paciência, pelo menos até os governos decidirem a implementação de um passe sanitário internacional.

França reabre fronteiras a Brasileiros, mas com restrições


Após meses de fronteiras fechadas aos brasileiros em virtude da crise sanitária provocada pelo Covid-19, a França finalmente reabriu suas fronteiras para turistas brasileiros devidamente vacinados, sem a necessidade de apresentação de teste RT-PRC ou isolamento.  As novas regras estão válidas depois do dia 17 de julho. 

Mas atenção: por enquanto, apenas as vacinas aprovadas pela União Europeia são válidas: Pfizer, Moderna, Janssen e AstraZeneca. Como a vacina da Janssen possui apenas 1 dose, é preciso esperar 28 dias antes de obter autorização para entrar na França sem restrições. Para as demais vacinas (que são administradas em 2 doses), é necessário aguardar 7 dias após a administração da segunda dose. 

A vacina Coronacav, amplamente aplicada no Brasil, no momento não faz parte das vacinas aprovadas pela Europa, ou seja, quem foi vacinado com a Coronavac pode viajar para a França, mas deverá fazer teste RT-PCR 48h antes do embarque e se submeter a uma quarentena de 10 dias, além de apresentar, antes do embarque, um motivo importante para a viagem (motif impérieur). Como já foi dito, para os vacinados a entrada na França não requer quaisquer restrições.

Sobre a Coronavac há uma enorme pressão do setor turístico para que a vacina seja regulamentada pela Europa nas próximas semanas, tendo em vista que, caso a vacina não seja regulamentada, a maioria dos chineses (vacinados com a Coronavac) não poderão entrar na Europa sem restrições, o que geraria ainda mais prejuízos ao turismo do velho continente. 

É importante lembrar que brasileiros vacinados e que desejam viajar para a França não precisam fazer teste RT-PCR. 

Já para brasileiros devidamente vacinados que retornam ao Brasil (assim como estrangeiros) é necessário fazer o teste RT-PCR 72 horas antes do retorno ou chegada ao Brasil. 

Aqui na França um teste RT-PCR custa em média 49 euros e pode ser feito em laboratórios como o Synlab, Biogroup e Cerballiance, que são devidamente regulamentados pelo governo. Para os brasileiros residentes na França e que possuem Carte Vitale, todos os testes covid são gratuitos. A gratuidade não se aplica aos turistas. 

Para maiores informações para organizar sua viagem à França, não hesite em visitar a página do Consulado Geral do Brasil em Paris

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Como está a vida em Paris com o desconfinamento?


Após pouco mais de três meses de confinamento a França inteira começa a se desconfinar à partir desta semana. Bares, restaurantes e academias começaram finalmente a abrir. A Torre Eiffel, passará a receber visitantes do próximo dia 25 de junho. Cinemas, teatros e museus, escolas e shoppings devem começar a abrir gradativamente a partir do dia 22 deste mês.

Por enquanto, os casos de contaminação pelo Covid-19 estão num nível mais baixo do que o esperado. As UTIs, que estavam com quase 100% das vagas ocupadas na grande Paris no início do confinamento, hoje quase não tem pacientes internados pelo coronavírus. São apenas 80 pacientes em estado grave (UTI) e outros 621 em leitos normais. 

O número total de mortos pelo Covid-19 na grande Paris, até o momento, é de 10.945 pessoas. A França inteira contabiliza 29.603 mortes. 

Como está a vida após o confinamento?

Após três meses de gestos de distanciamento, os franceses finalmente começaram a voltar a vida "normal". De acordo com o Ministério da Saúde do país, o vírus continua a circular, mas de maneira muito reduzida. Se no início da epidemia uma pessoa doente contaminava 3, hoje um doente contamina apenas 0,5 pessoas no país.

A diminuição das contaminações acontece graças ao confinamento (com alta taxa de adesão na França) além dos gestos de distanciamento social. 

Atualmente, o uso de máscara, por exemplo, continua obrigatório no transporte público. Em supermercados e lugares fechados, o uso da máscara não é obrigatório, mas altamente recomendado. Se no início da epidemia a França enfrentou uma penúria de máscaras, hoje elas são encontradas à venda em qualquer lugar, com facilidade. 

Os franceses passaram também a redobrar a atenção com a higiene. O álcool gel passou a ser rotina na vida da população, na entrada de empresas, bares, restaurantes, no transporte ou qualquer outro lugar de grande circulação. 

Paris também mudou de rostos com o desconfinamento. Com as fronteiras fechadas para o mundo (abriram no último dia 15/06 apenas para países europeus), não se vê turistas circulando como antes pela capital francesa. As ruas sempre agitadas e lotadas de visitantes, agora são ocupadas apenas pelos moradores, que disputam espaço num balé de bicicletas, agora o meio de transporte preferido dos parisienses.

Outra mudança drástica em Paris é com relação aos aeroportos. Durante o confinamento apenas o aeroporto Charles de Gaulle estava operando, mais com capacidade mínima de voos. Hoje, Charles de Gaulle continua operando timidamente, e o Aeroporto de Orly, fechado durante todo o confinamento, deve começar a operar gradativamente apenas no dia 26 de junho. 

E você pode me perguntar: como está a clima de desconfinamento em Paris e na França como um todo? Eu te respondo: muito otimista! Muito mais otimista do que o imaginado. Na cultura francesa a palavra liberdade é a mais importante. Confinar um francês por três meses jamais aconteceu na história democrática do país.  Existe um clima de felicidade geral com a diminuição dos casos e a chegada do verão. 

Depois de meses de solidão e ainda com os gestos de distanciamento social presentes, os franceses começam finalmente a degustar o sabor da palavra "liberdade", com mais cautela para uns e menos para outros, bien sur! A vida em Paris e na França começa a voltar a "normalidade", mesmo que a ameaça do vírus continue a assombrar o país.