sexta-feira, 19 de junho de 2020

Como está a vida em Paris com o desconfinamento?


Após pouco mais de três meses de confinamento a França inteira começa a se desconfinar à partir desta semana. Bares, restaurantes e academias começaram finalmente a abrir. A Torre Eiffel, passará a receber visitantes do próximo dia 25 de junho. Cinemas, teatros e museus, escolas e shoppings devem começar a abrir gradativamente a partir do dia 22 deste mês.

Por enquanto, os casos de contaminação pelo Covid-19 estão num nível mais baixo do que o esperado. As UTIs, que estavam com quase 100% das vagas ocupadas na grande Paris no início do confinamento, hoje quase não tem pacientes internados pelo coronavírus. São apenas 80 pacientes em estado grave (UTI) e outros 621 em leitos normais. 

O número total de mortos pelo Covid-19 na grande Paris, até o momento, é de 10.945 pessoas. A França inteira contabiliza 29.603 mortes. 

Como está a vida após o confinamento?

Após três meses de gestos de distanciamento, os franceses finalmente começaram a voltar a vida "normal". De acordo com o Ministério da Saúde do país, o vírus continua a circular, mas de maneira muito reduzida. Se no início da epidemia uma pessoa doente contaminava 3, hoje um doente contamina apenas 0,5 pessoas no país.

A diminuição das contaminações acontece graças ao confinamento (com alta taxa de adesão na França) além dos gestos de distanciamento social. 

Atualmente, o uso de máscara, por exemplo, continua obrigatório no transporte público. Em supermercados e lugares fechados, o uso da máscara não é obrigatório, mas altamente recomendado. Se no início da epidemia a França enfrentou uma penúria de máscaras, hoje elas são encontradas à venda em qualquer lugar, com facilidade. 

Os franceses passaram também a redobrar a atenção com a higiene. O álcool gel passou a ser rotina na vida da população, na entrada de empresas, bares, restaurantes, no transporte ou qualquer outro lugar de grande circulação. 

Paris também mudou de rostos com o desconfinamento. Com as fronteiras fechadas para o mundo (abriram no último dia 15/06 apenas para países europeus), não se vê turistas circulando como antes pela capital francesa. As ruas sempre agitadas e lotadas de visitantes, agora são ocupadas apenas pelos moradores, que disputam espaço num balé de bicicletas, agora o meio de transporte preferido dos parisienses.

Outra mudança drástica em Paris é com relação aos aeroportos. Durante o confinamento apenas o aeroporto Charles de Gaulle estava operando, mais com capacidade mínima de voos. Hoje, Charles de Gaulle continua operando timidamente, e o Aeroporto de Orly, fechado durante todo o confinamento, deve começar a operar gradativamente apenas no dia 26 de junho. 

E você pode me perguntar: como está a clima de desconfinamento em Paris e na França como um todo? Eu te respondo: muito otimista! Muito mais otimista do que o imaginado. Na cultura francesa a palavra liberdade é a mais importante. Confinar um francês por três meses jamais aconteceu na história democrática do país.  Existe um clima de felicidade geral com a diminuição dos casos e a chegada do verão. 

Depois de meses de solidão e ainda com os gestos de distanciamento social presentes, os franceses começam finalmente a degustar o sabor da palavra "liberdade", com mais cautela para uns e menos para outros, bien sur! A vida em Paris e na França começa a voltar a "normalidade", mesmo que a ameaça do vírus continue a assombrar o país. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário