quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Jornalista faz vídeo que mostra perseguição aos judeus em Paris

A Paris romântica e dos cartões postais vem revelando um lado sombrio e perigoso, o qual os turistas maravilhados com o brilho da cidade luz nem sempre se dão conta. Além do aumento da violência e das desigualdades sociais (não só na França, mas como em toda a Europa), Paris vem dando mal exemplo no quesito respeito a igualdade e tolerância religiosa.

E foi pensando em denunciar o que se passa no cotidiano de Paris que um jornalista resolveu fazer um experimento. Munido de uma câmera e utilizando um quipá (espécie de boné judeu), ele caminhou durante 10 horas pelas ruas de Paris. E não deu outra: o jornalista Zvika Klein (que é judeu) sofreu várias agressões verbais. Foi tratado de forma depreciativa, assediado moralmente, chamado de homossexual e até ameaçado de morte por uma criança de origem muçulmana (parte que não entrou na edição final do vídeo, mas foi relatada pelo jornalista). Tudo isso nas ruas de Paris!

O vídeo já teve mais de 3 milhões de visualizações e, é claro, chocou boa parte dos franceses. O próprio governo admite que os atos de antissemitismo vem aumentando na França, o que tem assustado milhares de judeus, que começam a migrar para Israel por medo da falta de segurança. 

O vídeo foi registrado tanto em pontos turísticos, como em bairros mais populares, como o 18 arrondissement, conhecido por ter a maior comunidade muçulmana de Paris. Aos jornais franceses,  Zvika explicou que a discriminação aconteceu em toda a parte, mais que aumentou expressivamente nos bairros mais populares. 

Confira o vídeo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário