sábado, 23 de novembro de 2019

Greve geral na França dia 5 de dezembro: O quê para?

Em 1995 greve geral paralisou a França por 2 meses em meio. 
Se você tem viagem marcada à França no mês de dezembro é melhor ficar atento ao movimento de greve geral com previsão de início no dia 5 de dezembro e que pode durar dias ou semanas, como a grande greve geral de 1995, que paralisou a França por mais de 2 meses. Por enquanto, é melhor se prevenir para os dias 4, 5, e 6 de dezembro, quando o movimento grevista deve começar com força total.

A maior parte dos sindicatos franceses espera uma mobilização de grande adesão, principalmente no setor de transportes, que deve ser duramente afetado pelo movimento. A greve tem como objetivo se opor a reforma das aposentadorias proposta pelo governo do presidente Emmanuel Macron. Pelo texto da reforma, várias categorias com regimes especiais, perderiam vantagens e teriam que trabalhar mais tempo antes de se aposentar. 

Mas quais os setores que serão afetados pela greve do dia 5 de dezembro na França? 

Transportes públicos


Estima-se que os trabalhadores do transporte público vão aderir em massa ao movimento grevista. Trens, ônibus, metrôs e até o TVG (trem de alta velocidade) devem ser paralisados. Em Paris, o governo está tentando assegurar com os grevistas um serviço mínimo, mas até agora, em virtude da grande adesão ao movimento, a previsão é de que a maioria das linhas de metrô de Paris, asseguradas pela empresa RATP, parem de funcionar. Os trens RER também devem parar. 

Aeroportos


A adesão de controladores de voo não foi muito intensa. A previsão é que o serviço mínimo seja assegurado nos aeroportos, o que pode, mesmo assim, provocar anulações e atrasos em vários aeroportos do país. Vários sindicatos que representam os funcionários da Air France solicitaram aos funcionários a adesão em massa ao movimento.

Transporte de cargas


Além do transporte público, sindicatos de caminhoneiros também estão se mobilizando para parar no próximo dia 5 de dezembro, o que pode atrasar entregas de mercadorias e alimentos em plena época de natal. 

Correios - O La Poste, serviço de correspondências público/privado da França também promete adesão ao movimento grevista do 5 de dezembro. Aliás, o La Poste já está em movimento de greve há algumas semanas. 

Educação - Quem também promete parar no dia 5 de dezembro são os professores e estudantes. Os profissionais de educação temem que a reforma possa afetar suas aposentadorias. Já os estudantes prometem também entrar em greve pra denunciar a precariedade em que muitos vivem, além de solicitarem um aumento das bolsas de estudo. Recentemente, um estudante de Lyon tentou se suicidar por não conseguir viver com a ajuda de custo oferecida pelo Estado, fato que causou grande comoção nacional. Hoje na França, 20% dos estudantes vivem na linha da pobreza e pouco mais de 50% precisam conciliar trabalho e estudo.

Hospitais - Já em movimento de greve há várias semanas para denunciar a falta de recursos dos hospitais públicos, médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde também devem aderir a greve do 5 de dezembro. Apenas o serviço mínimo será assegurado. 

Polícia - Alguns sindicatos de policiais informaram que parte dos profissionais internos devem aderir ao movimento de greve, afetando serviços como investigações e boletins de ocorrência. Algumas delegacias também poderão ser fechadas. 

Coletes amarelos - apesar da baixa adesão, os coletes amarelos continuam se manifestando na França há mais 1 ano. Eles também prometem aderir ao movimento de greve, o que pode afetar o funcionamento de empresas privadas. 

Negociações - O governo vem tentando negociar com os sindicatos, mas sem sucesso. Ontem, 3 grandes sindicatos que estavam em cima do muro saíram decepcionados da sala de reunião. Por enquanto a previsão é de que se o governo não recuar, a greve vai mesmo acontecer. Por isso, se você tem viagem marcada a França em dezembro (ou mora na França e pretende viajar nesta época) fique atento as notícias antes de decidir reorganizar sua viagem ou não. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário